Sem dúvida alguma um dos Santuários Marianos mais belos do mundo, o Santuário de Lourdes, na França, ficou famoso no mundo todo pelas curas e milagres.

Milhões de pessoas dos mais diversos países visitam todos os anos o Santuário na pequena cidade de menos de 15 mil habitantes em busca de curas fisicas ou espirituais.

As lembranças da associação entre o santuário mariano e a busca pela cura estão por toda parte, seja no belíssimo mosaico mostrando Jesus curando o paralítico (Mc 2,1-12) na escadaria da Basílica do Rosário, em monumentos ou nos inúmeros carrinhos e cadeiras de roda com os quais se cruza a toda hora.

 

Mosaico na Basílica do Rosdário, em Lourdes - Jesus cura o paralítico (Marcos 2-12)

Na escadaria da Basílica do Rosário este mosaico do padre Ivanm Rupnik na escadaria da Basílica do Rosário mostra Jesus curando o paralítico (Mc,2,1-12)

 

Lourdes: como tudo começou

 

Bernadette Soubirous (santa Bernadette) - 1858

Bernadette Soubirous (Santa Bernadette) – 1858

Tudo começou em 1858, quando a Virgem Maria apareceu para Bernadette Soubirous, uma jovem humilde e com problemas de saúde, quando ela estava em frente à Gruta de Massabielle à procura de gravetos para esquentar a casa onde morava com a família.

Depois da primeira aparição, no dia 11 de fevereiro daquele ano, Nossa Senhora ainda apareceu outras 17 vezes para Bernadette, mais tarde canonizada como Santa Bernardette.

A notícia sobre as aparições se espalharam e passaram a atrair cada vez mais pessoas para acompanhar as visitas de Bernadette à gruta.

As primeiras curas inexplicáveis não tardaram a acontecer. Já no dia 1º de Março de 1858, a Sra. Catherine Latapie, da cidade de Loubajac, de 38 anos de idade, foi curada de uma paralisia que a já durava 18 meses.

Essa cura foi a primeira a ser aceita como milagrosa pela Igreja e logo foi seguida por outras.

Hoje a lista já chega a 70 nomes, sem contar outros 7.000 casos de cura não reconhecidos pela Igreja mas considerados inexplicáveis para a ciência.

A associação entre Lourdes e a cura de doenças do corpo e da mente é tão frequente que em 1992 São João Paulo II estabelecu que o dia 11 de fevereiro, em que é comemorada a Festa de Nossa Senhora de Lourdes, passasse a ser também o Dia Mundial do Doente, celebrado pela primeira vez em Lourdes em 1993.

Confira aqui a lista oficial de miraculados (em Espanhol).

 

LEIA TAMBÉM  Lourdes: conheça o ingrediente essencial da água famosa no mundo todo

Curas e milagres atraem multidões

 

gruta_massabielle_lourdes_missa_viagensdefe
servico_doentes_lourdes_VINCENT Pierre
doentes_ponte_lourdes_free_photos_biz

 

Segundo o Santuário de Lourdes, a cada ano 80.000 doentes e pessoas com necessidades especiais chegam em busca de cura.

Além de toda uma estrutura que conta com dois hospitais e milhares de enfermeiras, enfermeiras e médicos, todos voluntários, o Santuário ainda disponibiliza meios de transporte adequados para esses peregrinos.

Todos os serviços são gratuitos e as famílias dos doentes que necessitarem ainda podem receber acomodação com valores muito baixos em diversos meios de hospedagem do próprio Santuário.

Desde cedo já é possível ver um número muito grande de pessoas doentes, idosas e portadoras de deficiências por toda a área do Santuário e sua presença em massa pode ser observada na Gruta de Massabielle, nos banhos, na procissão eucarística diária no final da tarde e na tradicional procissão diária à luz de velas, que começa às 21h00.

 

cadeiras_rodas_aeroporto_tarbes_lourdes_viagensdefe
leitos_doentes_aeroporto_tarbes_lourdes_viagensdefe

 

O grande fluxo de doentes e pessoas com necessidades especiais que chega a Lourdes pode ser avaliado já no aeroporto de Tarbes-Lourdes, que serve a cidade.

Além de serviços mais prosaicos, como banheiros adaptados, o aeroporto oferece uma ala de embarque especial com quartos para doentes mais graves e área de estar para seus acompanhantes, bem como cadeiras de rodas e plataformas para levar doentes com dificuldades de locomoção até a porta dos aviões.

 

Curas levadas a sério

 

Escritório de Constatações Médicas (Bureau des Constatations Médicales) em Lourdes, na França

Fachada do Escritório de Constatações Médicas no Santuário de Lourdes

 

No Santuário de Lourdes as curas são levadas muito a sério e analisadas com critérios científicos muito precisos.

Desde o princípio, todas as alegadas curas eram submetidas pelo bispo de Tarbes, responsável por Lourdes, ao escrutínio de um médico.

Em 1883 foi criado o Escritório de Constatações Médicas – “Bureau des Constatations Médicales“ – formado por médicos que examina o caso do suposto milagre, usando a mesma metodologia empregada na investigação científica.

Atualmente, depois de verificadas como inexplicáveis, as curas são encaminhadas para os especialistas do Comitê Médico Internacional de Lourdes, que examina toda a documentação referente a cada caso e, não encontrando uma explicação científica, certifica que a cura não pode ser explicada à luz dos conhecimentos científicos atuais.

 

LEIA TAMBÉM  Ligação aérea entre Fátima e Lourdes impulsiona o turismo religioso

 

Critérios para uma cura ser reconhecida como extraordinária ou inexplicável

 

Para ser considerada como extraordinária ou inexplicável, uma curade ve atender sete critérios:

  1. A doença deve ter características de gravidade, com prognóstico negativo
  2. O diagnóstico real da doença deve ser certo e preciso
  3. A doença deve ser apenas orgânica
  4. Um eventual tratamento não pode ter favorecido o processo de cura
  5. A cura deve ser repentina, inesperada e instantânea
  6. A volta do paciente à normalidade deve ser completa (e sem período de convalescência)
  7. A cura deve ser permanente (sem recaídas)