Água da fonta da Gruta de Massabielle, em Lourdes, famosa no mundo todo

Água da fonta da Gruta de Massabielle, em Lourdes

 

No dia 25 de fevereiro de 1858, a Virgem Maria apareceu pela nona vez para Santa Bernadette na Gruta de Massabielle, em Lourdes e lhe disse: “Vá beber e se lavar na fonte“.

Como não havia nenhuma fonte na gruta, ela cavou o solo no ponto indicado pela aparição e aos poucos foi brotando água, até que não parou mais.

Nos dias seguintes muitas pessoas de Lourdes e da região passaram espontaneamente a beber e a passar a água que não parava de brotar do chão da gruta.

 

A água que cura

 

Fonte da água revelada a Santa Bernadette na Gruta de Massabielle, em Lourdes, na França - fioto Viagens de Fé

Flores junto à fonte da água revelada a Santa Bernadette na Gruta de Massabielle, em Lourdes

 

Como várias delas foram instantaneamente curadas de problemas de saúde, a fama da água de Lourdes começou a se espalhar rapidamente.

Não tardou para que o local, em alguns anos, acabasse se tornando um importante Santuário Mariano dedicado a Nossa Senhora de Lourdes, famoso no mundo inteiro.

Atualmente, o Santuário de Lourdes recebe cerca de cinco milhões de peregrinos por ano, vindos de todo o mundo. Mais de 80 mil deles vão em busca de cura para seus problemas de saúde.

 

Bebedoro da água da Gruta de Massabielle, no Santuário de Lourdes, na França - Pierre Vincent

Peregrina colhe água em um dos bebedouros do Santuário de Lourdes

 

Muitos não se contentam em só beber a água que brota da mesma fonte revelada a Santa Bernadette e são mergulhados em banheiras (“piscines“) cheias com ela.

Doente ou são, praticamente nenhum peregrino volta para casa sem levar um pouco da água de Lourdes, muitas vezes também levando vidrinhos cheios para amigos e conhecidos.

 

Vidrinhos para transporte de água vendidos em loja de Lourdes - foto FreePhotos.biz

Vidrinhos para transporte de água vendidos em loja de Lourdes

 

LEIA TAMBÉM  Lourdes, sinônimo de esperança, curas e milagres

 

Afinal, desde 1858 já foram confirmados 70 curas consideradas milagrosas e mais de 7.000 consideradas inexplicáveis pela ciência, a maioria relacionada ao contato com a água.

Como praticamente todo mundo tem algum problema de saúde ou tem algum familiar ou amigo que tenha, então nada melhor que acreditar no poder de cura através da água da Gruta de Massabielle.

 

É a água de Lourdes que cura?

 

Peregrinos junto aos bebedouros com água da Gruta de Massabielle, no Santuário de Lourdes, na França - Foto Viagens de Fé

Peregrinos junto aos bebedouros com água da Gruta de Massabielle

 

Afinal, qual é o ingrediente essencial da “água que cura” que nasce na Gruta de Massabielle, no Santuário de Lourdes?

Com certeza nenhuma resposta é mais adequada do que a dada pela própria Santa Bernadette:

Esta água é considerada como um remédio… mas você tem que manter a fé e rezar: esta água não poderia fazer nada sem fé”.

“Aparentemente, o meio mais frequente de cura é com o uso da água da fonte, tanto na aplicação direta como bebendo ou tomando banho com ela. A Igreja Católica especifica que Deus cura através dos elementos naturais e dos sacramentos, com a ajuda da Virgem Maria e da oração dos cristãos”, explica o Santuário de Lourdes no seu site.

“A água de Lourdes também é o sinal do batismo. Toda vez que alguém faz o gesto da água, dá um novo significado à vida. Um coração é purificado e libertado”, complementa o site.

Ele esclarece que “a água de Lourdes não deve ser confundida com a água benta. É uma água normal, ligeiramente calcária e comparável a qualquer outra água de fontes próximas”.

 

LEIA TAMBÉM  Ligação aérea entre Fátima e Lourdes impulsiona o turismo religioso

 

Também explica que não é uma água termal ou que tenha uma propriedade específica e é conduzida através de canais até reservatórios para depois alimentar vários bebedoros e banheiras.

Além disso, é uma água cuja fonte é completamente independente do rio Gave de Pau, que passa junto ao Santuário

A água é considerada um dos sinais característicos de Lourdes, assim como as rochas da gruta de Massabielle, a luz das velas que brilham permanentemente, as multidões de peregrinos e os doentes e aqueles que os acompanham.