Queira por favor verificar esses restaurantes próximos à igreja velha, pois eles estão fazendo o que querem, enganando os idosos.
O atendimento é muito ruim, a refeição péssima, cara, sem higiene nenhuma.
Falam um valor no final da passarela, quando chega lá querem enrolar as pessoas.
Alguém tem que fazer alguma coisa, é um absurdo!
Aparecido Caetano
separador de textos correio do leitor
  • Pinterest

Olá, Aparecido.
Obrigado pelo comentário e por ler a Viagens de Fé.
Infelizmente, reclamações a respeito de abuso de restaurante em Aparecida se repetem há décadas e não se limitam aos idosos, atingindo visitantes de todas as idades.

Como a própria matéria informa, esses abusos já são do conhecimento da Prefeitura local.
Imagino que também sejam do conhecimento da Vigilância Sanitária e outros órgãos de defesa do consumidor.
Segundo o seu relato, o problema se divide em dois: o agenciador e o restaurante.
O local onde os agenciadores costumam abordar os romeiros, no final da passarela, é conhecido, o que teoricamente ajudaria a coibir abusos.

Os restaurantes também têm uma localização específica e aí cabe às autoridades competentes fazer cumprir a legislação na exibição dos preços cobrados e cardápios na entrada e a legislação relativa à higiene e manuseio dos alimentos.
Quanto ao mau serviço, não existe muito o que ser feito, exceto levantar e ir embora, além de jamais voltar ao estabelecimento e divulgar o tratamento recebido para amigos, conhecidos, redes sociais, etc.
Resta a quem se sentir lesado fazer uma denúncia formal através do posto da Polícia Militar mais próximo ou na Delegacia de Polícia, informando o nome do estabelecimento, apresentando a nota fiscal que é de emissão obrigatória (recibos não valem!) e apontando a pessoa que fez a oferta da refeição pelo preço errado.
Uma denúncia formal ao PROCON também pode ajudar: em Aparecida, ele fica na R. Professor José Borges Ribeiro, 167 e atende das 9h00 às 18h00. Os telefones são (12) 3104-4000 e 3104-4023.
É importante formalizar a denúncia para que as autoridades possam agir. Ao mesmo tempo, caso não ajam, o fato de ter sido feito um Boletim de Ocorrência ou outra forma formal de denúncia, permite que essas autoridades sejam cobradas.
Caso as autoridades locais e as entidades que representam restaurantes desejem se manifestar, este espaço está aberto.
Deus o abençoe,
Amadeu

LEIA TAMBÉM  Informações sobre pacotes para a canonização dos Papas João Paulo II e João XXIII