Apesar de São Paulo ter muitas atrações de turismo religioso como túmulos de santos, belas igrejas históricas e um museu de arte sacra, elas ainda são pouco conhecidas pelo público que gosta desse tipo de passeio.

Muitas dessas atrações ficam na área central da cidade, conhecida como Centro Velho, que foi onde a capital paulista foi fundada em 1554 pelos padres jesuítas.

É nessa região acessível e muito bem servida de transporte que ficam a Catedral da Sé, um dos símbolos da cidade e uma de suas atrações turísticas mais visitadas, e várias outras igrejas históricas que valem a pena ser conhecidas.

Esse passeio pode ser feito à pé, já que o trajeto é praticamente todo plano e as atrações ficam a poucas centenas de metros de distância uma das outra.

Catedral da Sé

Detalhe do interior da Catedral da Sé, em São Paulo - Rogério Cassimiro - MTur
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Detalhe do interior da Catedral da Sé, em São Paulo

Localizada no coração da cidade, bem em frente ao Marco Zero, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Assunção e São Paulo, mais conhecida como Catedral da Sé, fica ao lado da estação Sé do Metrô, onde se cruzam as linhas Norte-Sul e Leste-Oeste.

Isso permite acesso fácil, rápido e barato a partir de qualquer ponto da cidade, inclusive dos terminais rodoviários Tietê, Barra Funda e Jabaquara.

Construída no mesmo local onde ficava a primeira igreja da cidade, construída em 1591 com a técnica de taipa de pilão, a Catedral da Sé abriga bonitos mosaicos e vitrais, além de um órgão que é considerado o maior da América Latina.

Outra atração da Catedral é a Cripta, onde estão sepultados bispos e arcebispos de São Paulo e vários personagens importantes da história do Brasil, como o cacique Tibiriçá, que dominava a cidade na época de sua fundação, o Regente Feijó, além de parte dos restos mortais do padre Bartolomeu de Gusmão.

Com capacidade para 8.000 fiéis, a Catedral mede 111 metros de comprimento e 46 de largura, medidas que a tornam uma das maiores do mundo. Suas duas torres têm 92 metros de altura.

LEIA TAMBÉM:  Túmulos de dois santos são visitas imperdíveis em São Paulo

Igreja de São Gonçalo

igreja de São Gonçalo, no centro de São Paulo - foro Secretaria Municipal da Cultura
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Logo atrás da Catedral da Sé fica a simples e bonita igreja de São Gonçalo, do século XVIII.

Vale a pena conferir os seus retábulos laterais, que pertenceram à antiga Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, antes dela ser reformado.

Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Altar da igreja da Ordem Terceira do Carmo, em São Paulo - Wikimedia
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Altar da igreja da Ordem Terceira do Carmo

Também perto da Catedral da Sé, a igreja da Ordem Terceira do Carmo começou a ser construída em taipa de pilão em 1747.

Mais tarde, foi ampliada e ganhou um novo frontispício, executado por Joaquim Pinto de Oliveira, o “mulato Tebas”, escravo do mestre-de-obras Bento de Oliveira Lima.

Seu interior abriga um representativo conjunto da arte colonial paulista, como o altar rococó do século XVIII e as pinturas dos tetos da capela-mor e do coro, de autoria do mestre ituano Frei Jesuíno do Monte Carmelo.

Mosteiro de São Bento

Interior da Basílica de Nossa Senhora da Assunção, no Mosteiro de São Bento, no centro de São Paulo - Secretaria Municipal de Turismo
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Interior da Basílica de Nossa Senhora da Assunção, no Mosteiro de São Bento

Outra atração do centro da cidade é o tradicional Mosteiro de São Bento, localizado na praça de São Bento e junto à estação São Bento do Metrô.

O Mosteiro, que inclui a Basílica Abacial de Nossa Senhora da Assunção, famosa pelo ofício divino em rito monástico rezado diariamente e pela tradicional missa celebrada com canto gregoriano pelos monges, foi onde se hospedou o Papa Bento XVI na sua visita ao Brasil em 2007 .

Outra tradição do Mosteiro, fundado em 1598 por monges da Congregação Lusitana da Ordem de São Bento, são os pães feitos lá mesmo e vendidos numa pequena loja logo na entrada.

LEIA TAMBÉM:  São Paulo tem potencial inexplorado para turismo religioso

Páteo do Colégio

Páteo do Colégio e Museu Anchieta - divulgação
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Páteo do Colégio e Museu Anchieta

O Páteo do Colégio, a meio caminho entre o Mosteiro de São Bento e a Catedral da Sé, fica no local onde foi celebrada a missa que marcou o nascimento da cidade em 1554.

Dois anos depois foi iniciada a construção de uma pequena igreja de taipa, depois complementada por um colégio jesuíta. Mais tarde, ele serviu como sede do governo do estado até a segunda década do século passado.

Imagens sacras no Museu Anchieta, no Pateo do Colégio, em São Paulo - José Cordeiro
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Imagens sacras no Museu Anchieta, no Páteo do Colégio

O local também abriga o bonito Museu Anchieta, onde são guardadas relíquias de São José de Anchieta, considerado o terceiro santo brasileiro e também responsável pela introdução das rosas no país.

Até hoje é realizada no Páteo do Colégio a tradicional Bênção das Rosas, solenidade criada em 1584 na fundação da Congregação de Nossa Senhora do Rosário e que provavelmente é uma das mais antigas festas religiosas do Brasil.

Igreja de Santo Antônio

Interior da igreja de Santo Antonio, a mais antiga de São Paulo - José Cordeiro - SPTuris
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Interior da igreja de Santo Antonio, a mais antiga de São Paulo

A poucos quarteirões de distância, fica a igreja de Santo Antônio, que é a mais antiga da cidade, sendo que os primeiros documentos que mencionam a existência são de 1592.

Com uma bonita decoração interna, essa igreja está “espremida” entre os prédios na Praça do Patriarca, numa das extremidades do tradicional Viaduto do Chá.

Igreja de São Francisco

Igrejas de São Francisco e de São Francisco das Chagas - São Paulo, SP - Jose Cordeiro - SPTuris
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Igrejas de São Francisco e de São Francisco das Chagas

Ainda no centro da cidade, vale a pena ainda visitar a Igreja de São Francisco, no Largo de São Francisco, datados de 1647 e recentemente restaurados.

O Convento de São Francisco foi uma instituição religiosa instalada na vila de São Paulo no Brasil colonial.

Embora o prédio do Convento tenha sido convertido na tradicional Faculdade de Direito, a igreja de São Francisco ainda existe.

Ao lado dela fica a igreja de São Francisco das Chagas, construída pela Ordem Terceira de São Francisco e batizada oficialmente como igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco. Sua fachada também é obra de Joaquim Pinto de Oliveira, o “mulato Tebas”.

LEIA TAMBÉM:  Museu de Arte Sacra de São Paulo reforça a presença online
LEIA TAMBÉM:  Museu de Arte Sacra de São Paulo mostra o custo do progresso e do descaso
LEIA TAMBÉM:  São Paulo tem potencial inexplorado para turismo religioso