Uma experiência para ser vivida

capa do blog sobre viagens religiosas
 
Ainda não sei bem como acabei me interessando pelo turismo religioso. De qualquer modo, fica cada vez mais claro que ele não é como uma viagem qualquer. Que, para ser plenamente aproveitado, ele exige uma postura diferente do viajante.
Como escrevi no “post” anterior, aprendi com a minha experiência na vigília à espera do Papa Francisco em Aparecida que não basta participar. Antes de mais nada, uma viagem religiosa precisa ser vivida. E, a cada dia que passa, tenho mais certeza disso.
Em termos de viagens em geral, aprendi que o verbo viajar tem um significado equivalente e tão profundo quanto experimentar. Viajar se conjuga no corpo e na mente, usando todos os sentidos: visão, audição, olfato, gustação e daí por diante.
Há que se entregar, mergulhar, viver no seu significado mais amplo e profundo. Caso contrario, é só ir, só estar, só comparecer, uma mera mudança de cenário.
Ao longo de muitos anos, conheci muitos países e culturas e aprendi que viajar implica em viver, experimentar, degustar, sentir, sair -um pouco que seja- do seu ponto de conforto e olhar o novo, arriscar um pouco. Viajar implica em sair de casa de corpo e – principalmente – de mente.

Viajar precisa enriquecer-se de novas experiências, testar o paladar com comidas do lugar, conhecer a cultura local, misturar-se – na medida do possível – com a população local, deixar o som da língua ou do sotaque encher os ouvidos. Talvez eu seja um pouco radical nisso, mas prefiro deixar para comer o meu arroz feijão quando estou em casa e não quando estou longe dela.
E em termos de uma viagem religiosa, tudo isso se aplica – e vai além. É preciso estar preparado para viver uma verdadeira experiência religiosa e não só levar o corpo até o destino escolhido, “carimbar o passaporte”, ir sem estar. Muito mais do que em uma viagem comum, é preciso ir desarmado, de  espírito aberto. É essencial se abrir, se deixar tocar, pois – tenha certeza – isso vai acontecer.

Recentemente, enquanto me preparo para viajar para o Pará para fazer a cobertura do Círio de Nazaré, li um texto escrito por Dom Alberto Taveira, Arcebispo de Belém que reforçou ainda mais o meu ponto de vista. Nesse texto, ele ensina:

Esta fé é para ser vivida e testemunhada.(…)  Ninguém venha para o Círio como espectador. Turista não se sente bem! Só desfruta o Círio quem tem coração simples, quem aposta no que vê e descobre o que não vê.

Aprendi a viajar com a máquina fotográfica pronta para registrar tudo o que for novo, bonito, diferente. Só que desta vez, já avisei os meus anfitriões que pretendo deixá-la de lado.
Quero viver em profundidade a experiência do Círio. Quero me deixar tocar. Quero deixar a emoção aflorar. Tenho certeza absoluta de que vou me emocionar e chorar – e muito. Quero conhecer mais de perto Nossa Senhora de Nazaré e deixa-lá entrar mais na minha vida.
Aqui entre nós, confesso que só de examinar as imagens para ilustrar as matérias  e de assistir os vídeos sobre o Círio, não tenho contido as lágrimas. Que bom!
Na volta, prometo contar como foi. Não sei se vou conseguir transmitir tudo o que vou sentir, mas prometo me esforçar.
Quanto a você, mesmo que não concorde com o ponto de vista que a experiência me deu, experimente fazer desse modo na sua próxima viagem.
Mergulhe, vá fundo, se abra, aproveite as oportunidades que aparecerem, experimente, viva, deixe-se ser tocado(a)…
Posso dizer, quase com certeza, que nessa viagem Deus vai lhe dar algo único e especial, que você vai guardar com carinho para o resto da vida.
 
Amadeu Castanho

 
 

Receba grátis as nossas novidades!

Receba grátis as nossas novidades!

Receba gratuitamente por e-mail todas as nossas reportagens e artigos mais recentes.

Para se cadastrar, basta digitar abaixo o seu nome e o seu endereço de e-mail.

Obrigado! O seus dados foram cadastrados com sucesso,. Em breve você começará a receber as nossas atualizações.

Compartilhe

Notícias recentes

Canção Nova reabre para o público

Canção Nova reabre para o público

A sede da comunidade católica Canção Nova, em Cachoeira Paulista, no estado de São Paulo,… Continue lendo

Conheça a Catedral de Santiago de Compostela em visita virtual

Conheça a Catedral de Santiago de Compostela em visita virtual

A Catedral de Santiago de Compostela, na região da Galícia, na Espanha, é uma das… Continue lendo

Operadoras apostam na retomada e lançam fretamento para Aparecida

Operadoras apostam na retomada e lançam fretamento para Aparecida

Duas operadoras paulistas estão apostando na retomada do turismo religioso, passando a oferecer "pacotes" turísticos… Continue lendo

Canguaretama lembra os 376 anos do massacre dos Mártires de Cunhaú

Canguaretama lembra os 376 anos do massacre dos Mártires de Cunhaú

Há 376 anos atrás aconteceu no Rio Grande do Norte um massacre envolvendo forças invasoras… Continue lendo

Lourdes United: peregrinação virtual será amanhã

Lourdes United: peregrinação virtual será amanhã

Se a pandemia não permite que os peregrinos do mundo inteiro vão ao Santuário de… Continue lendo

Festas da Agonia são tema de novo livro de Igor Lopes

Festas da Agonia são tema de novo livro de Igor Lopes

    As Festas da Agonia, em Viana do Castelo, Portugal, serão o tema do… Continue lendo

Receba grátis as nossas novidades!

Receba grátis as nossas novidades!

Receba gratuitamente por e-mail todas as nossas

reportagens e artigos mais recentes.

 

Para se cadastrar, basta digitar abaixo

o seu nome e o seu endereço de e-mail.

Obrigado! O seus dados foram cadastrados com sucesso. Em breve você começará a receber as nossas atualizações.

Pin It on Pinterest

Share This