O Círio de Nazaré, visto pelos paraenses

Círio de Nazaré, Belé, Pará

Círio de  Nazaré  –  A fé que move mais de 2 milhões de pessoas pelas ruas de Belém

 

Benigna Soares, com Jeferson Höenisch e Wanderson Curcino

 
Um lugar único no planeta que reúne maravilhas naturais e culturais, culinária encantadora, riquezas históricas, um imaginário, além de um povo acolhedor de um calor humano único e generoso. Assim é o Pará, a obra prima da Amazônia. É neste cenário que acontece todos os anos, no segundo domingo de outubro, na capital paraense, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré.
O evento, considerado a maior manifestação de fé católica do Brasil, é cercado de simbolismos e peculiaridades: um misto de cultura, história, demonstração da marcante religiosidade do povo da região. O motivo é que Nossa Senhora de Nazaré é a padroeira dos pescadores, dos paraenses, da Amazônia.
O evento mais significativo em termos de turismo no Pará acontece em Belém, capital do estado, que praticamente vive e respira o Círio o ano inteiro.
Quando a festa se aproxima, em meados do dia 15 de setembro, se percebe o quanto ela é importante para a cidade e para a Amazônia como um todo, em diversos sentidos, dentre eles o econômico, já que a movimentação no comércio chega a ser até maior do que o Natal.
É por isso que para muitos, o Círio é considerado o “Natal dos paraenses”, não no sentido propriamente religioso, mas por tudo o que a festa proporciona, especialmente quanto ao encontro e confraternização das famílias.
Belém, como principal porta de entrada da Amazônia, é o centro de convergência cultural da região, contendo mostras de tudo o que é vivido por quem habita a região mais rica do planeta, guardiã de quase Belém, como principal porta de entrada da Amazônia, é o centro de convergência cultural da região, contendo mostras de tudo o que é vivido por quem habita a região mais rica do planeta, guardiã de quase “Quadra Nazarena”, que essa preparação ganha
Belém, como principal porta de entrada da Amazônia, é o centro de convergência cultural da região, contendo mostras de tudo o que é vivido por quem habita a região mais rica do planeta, guardiã de quase  maior importância.
O Círio é hoje o principal evento de atração turística ao Pará e transcende o sentido religioso, ocupando lugar também de destaque nos ramos cultural e econômico, abrangendo todos os setores na cidade. Com 219 anos de tradição, o Círio de Nazaré faz parte do calendário nacional como uma das maiores festas religiosas do mundo
A festa também é responsável pela difusão da culinária paraense, já que as iguarias gastronômicas mais tradicionais têm a ver com a realização do Círio e o tradicional almoço depois da grande procissão.
Maniçoba e pato no tucupi são os pratos principais do cardápio da reunião das famílias e o cheiro dos ingredientes toma conta de toda a cidade dias antes da festa.
Entre os 2 milhões de romeiros que participam do Círio no domingo e que tomam conta das ruas de Belém, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos do Pará (Dieese), mais de 76 mil são turistas oriundos de diversos países e outros estados do Brasil.

[pullquote]Com 219 anos de tradição, o Círio de Nazaré faz parte do calendário nacional como uma das maiores festas religiosas do mundo.[/pullquote]

O Círio em si, acontece apenas na manhã do segundo domingo de outubro, mas a programação oficial na verdade envolve 11 romarias com mais de 100km de percurso, se somadas, e uma grande maratona de visitas da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré em Belém e a outros estados que também realizam o Círio, como Rio de Janeiro e Minas Gerais, Amazonas e Amapá.
A programação é aberta ainda na quarta-feira que antecede a grande procissão, com a inauguração da decoração da Praça Santuário, da iluminação dos arcos e da Basílica Santuário de Nazaré, da feira de artesanato e do tradicional arraial.
Na quinta-feira, acontece o lançamento do manto que adorna a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, uma verdadeira jóia que é trocada todos os anos e é considerada um dos ícones da festa. No mesmo dia acontece um grande concerto mariano na Basílica Santuário.
Sexta-feira, ainda de madrugada, começam a chegar os romeiros de diversos municípios que caminham dezenas de quilômetros até Belém como forma de pagar suas promessas.
Em frente à Basílica Santuário tem início a primeira das 11 romarias, o traslado para Marituba e Ananindeua, municípios na região metropolitana de Belém. É a mais extensa romaria, chegando a percorrer cerca de 110 km, com diversas paradas para receber homenagens.
A imagem segue em um carro da Polícia Rodoviária Federal cercada por outros carros, motocicletas e bicicletas e emociona os fieis que aguardam a passagem da imagem em calçadas e passarelas, especialmente na principal via de acesso a Belém, a Rodovia BR316.
Depois de uma noite de vigília, a imagem segue nas primeiras horas da manhã de Ananindeua para Icoaraci, distrito de Belém, na Romaria Rodoviária. Na orla do distrito, depois de uma missa campal, tem início a Romaria Fluvial, pelas águas da baía do Guajará, seguida por centenas de embarcações de diversos tamanhos, todas enfeitadas.
Esta romaria é uma das mais novas do calendário, criada na década de 1990 pelo então presidente da Paratur, Carlos Rocque.
Já na orla de Belém, a imagem é recebida com honras de Chefe de Estado. Tem início então outra romaria, a dos motociclistas, que conduz a imagem até o Colégio Gentil Bittencourt, onde na parte da tarde uma missa dá início à Trasladação.
Com percurso inverso ao do Círio, a Trasladação possui praticamente os mesmos elementos da grande romaria, sendo que à noite, quando a temperatura é mais amena e também conta com as luzes das velas carregadas pelos fieis até a Catedral Metropolitana.
Na manhã do segundo domingo de outubro um verdadeiro mar de gente toma conta das ruas de Belém para a passagem da berlinda enfeitada que conduz a imagem peregrina.
A programação dura ainda mais duas semanas, com a realização das demais romarias e também de diversos eventos ligados à festa, encerrando com um espetáculo com fogos de artifício à noite e na manhã seguinte a realização da última e mais curta romaria, o Recírio.
Quem vem ao Pará para o Círio, precisa mesmo conhecer o que o estado tem mais para oferecer e desfrutar das maravilhas dessa verdadeira obra prima da Amazônia
 

Nota do Editor: Para enriquecer nossa série de matérias de turismo religioso sobre o Círio de Nazaré, achei interessante mostra-lo para você visto por mais de um ângulo. Daí este artigo escrito por paraenses, que aborda o Círio como coisa da terra, ligada à gente, aos costumes e às tradições da Amazônia, esse pedaço tão rico quanto pouco conhecido do Brasil.

Receba grátis as nossas novidades!

Receba grátis as nossas novidades!

Receba gratuitamente por e-mail todas as nossas reportagens e artigos mais recentes.

Para se cadastrar, basta digitar abaixo o seu nome e o seu endereço de e-mail.

Obrigado! O seus dados foram cadastrados com sucesso,. Em breve você começará a receber as nossas atualizações.

Compartilhe

Notícias recentes

Canção Nova reabre para o público

Canção Nova reabre para o público

A sede da comunidade católica Canção Nova, em Cachoeira Paulista, no estado de São Paulo,… Continue lendo

Conheça a Catedral de Santiago de Compostela em visita virtual

Conheça a Catedral de Santiago de Compostela em visita virtual

A Catedral de Santiago de Compostela, na região da Galícia, na Espanha, é uma das… Continue lendo

Operadoras apostam na retomada e lançam fretamento para Aparecida

Operadoras apostam na retomada e lançam fretamento para Aparecida

Duas operadoras paulistas estão apostando na retomada do turismo religioso, passando a oferecer "pacotes" turísticos… Continue lendo

Canguaretama lembra os 376 anos do massacre dos Mártires de Cunhaú

Canguaretama lembra os 376 anos do massacre dos Mártires de Cunhaú

Há 376 anos atrás aconteceu no Rio Grande do Norte um massacre envolvendo forças invasoras… Continue lendo

Lourdes United: peregrinação virtual será amanhã

Lourdes United: peregrinação virtual será amanhã

Se a pandemia não permite que os peregrinos do mundo inteiro vão ao Santuário de… Continue lendo

Festas da Agonia são tema de novo livro de Igor Lopes

Festas da Agonia são tema de novo livro de Igor Lopes

    As Festas da Agonia, em Viana do Castelo, Portugal, serão o tema do… Continue lendo

Receba grátis as nossas novidades!

Receba grátis as nossas novidades!

Receba gratuitamente por e-mail todas as nossas

reportagens e artigos mais recentes.

 

Para se cadastrar, basta digitar abaixo

o seu nome e o seu endereço de e-mail.

Obrigado! O seus dados foram cadastrados com sucesso. Em breve você começará a receber as nossas atualizações.

Pin It on Pinterest

Share This