Destaques

Caminho dos Santos Mártires se diferencia unindo devoção, história e natureza

Caminho religioso é um termo que costuma ser associado a percorrer longas distâncias à pé, em isolamento, muitas vezes se submetendo a privações.

Praticada há séculos, essa é certamente é uma opção que conta com público certo, mas que, ao mesmo tempo, não atrai todo mundo.

Esse, no entanto, não é o caso do Caminho dos Santos Mártires, nova e  inovadora opção de caminho religioso apresentada recentemente no Rio Grande do Norte, percorrendo os locais onde ocorreram os massacres que vitimaram religiosos e leigos reconhecidos como os mais novos santos brasileiros.

Já concebido considerando as características do viajante moderno, o novo roteiro de turismo religioso pode ser percorrido por quem prefere ter mais conforto e conveniência a bordo de confortáveis micro-ônibus e vans dotados de ar condicionado e acompanhados por guias de turismo especializados.

Isso não impede que quem é adepto das opções de transporte mais tradicionais associadas a esse tipo de percurso possa percorre-lo à pé ou de bicicleta.

Para maior facilidade, o Caminho dos Santos Mártires conta com um mapa interativo acessível por QR Code, que lista as principais atrações de cada uma das suas etapas e as distâncias entre elas.

Os Santos Mártires

Capela Nossa Senhora das Candeias, local do primeiro massacre

No ano 1645, mais de trinta pessoas foram cruelmente assassinadas por motivos religiosos, econômicos e políticos no Rio Grande do Norte por soldados holandeses e seus aliados indígenas.

As primeiras mortes aconteceram no dia 16 de junho na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú, no atual município de Canguaretama, no litoral sul do estado.

Os invasores entraram na capela durante a celebração da Santa Missa, trancaram as portas e assassinaram com requintes de crueldade o padre André de Soveral e os fiéis presentes.

A notícia se espalhou e as famílias sobreviventes se deslocaram em direção à Fortaleza dos Reis Magos, em Natal, em busca de segurança.

A Fortaleza dos Reis Magos

No entanto, foram seguidos pelos invasores e acabaram se rendendo, sendo massacrados no dia 3 de outubro às margens do rio Uruaçu, no atual município de São Gonçalo do Amarante, depois de terem se negado a aceitar o ultimato dos holandeses para que convertessem ao calvinismo.

Desta vez entre as vítimas estavam o padre Ambrósio Francisco Ferro, pároco da igreja de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal, e o camponês Mateus Moreira, que passou à história por gritar “Louvado seja o Santíssimo Sacramento” enquanto tinha o coração arrancado pelas costas.

Trinta desses mártires homens, mulheres e crianças vítimas desses dois massacres se tornaram conhecidos como os “Mártires de Cunhaú e Uruaçú” e foram beatificados pelo Papa João Paulo II em 5 de março de 2000 e canonizados pelo Papa Francisco em 15 de outubro de 2017.

Mártires de Cunhaú e Uruassú

Reconhecidos como santos desde então. sua festa litúrgica é no dia 3 de outubro, data que passou a ser Feriado Estadual no Rio Grande do Norte.

O Caminho dos Santos Mártires

Detalhe do mapa interativo do Caminho dos Santos Mártires

O Caminho dos Santos Mártires é resultado de um projeto do turismólogo Manoel Sidnésio de Moura, com o apoio das prefeituras das cidades de Canguaretama, Nísia Floresta e São Gonçalo do Amarante, da Secretaria de Turismo do Rio Grande do Norte, diversas autoridades e entidades, além do empresariado turístico da região.

O percurso começa em Canguaretama, cidade do litoral Sul do Rio Grande do Norte, distante cerca de 80 km. de Natal pela BR-101, rodovia federal de pista dupla, bem pavimentada e sinalizada.

É lá que ficam a pequena Capela de Nossa Senhora das Candeias, local onde aconteceu o primeiro massacre, e o Santuário Chama de Amor, dedicado aos Mártires de Cunhaú, a poucas centenas de metros de distância.

Praia em Barra do Cunhaú

Vista a parte histórica do roteiro, é possível conhecer o distrito de Barra do Cunhaú, onde o visitante pode percorrer de barco os manguezais, acompanhar a cata de caranguejos e depois fazer uma parada para banho numa praia com dunas e barracas de praia que servem peixes e frutos do mar.

Seguindo em direção Norte, se chega a Nísia Floresta, cidade litorânea na Região Metropolitana de Natal e segunda etapa do Caminho dos Santos Mártires.

Embora não tenha sido local de nenhum dos dois massacres, a cidade abriga a casa de um dos mártires, São João Lostau Navarro, martirizado em Uruaçú, além de inúmeras atrações, como a bela igreja Matriz Nossa Senhora
do Ó, um raro exemplar de baobá e a comunidade de Timbó, onde teve origem a Campanha da Fraternidade da CNBB.

A etapa seguinte é São Gonçalo do Amarante, cidade onde fica o Santuário dos Mártires de Uruaçu, erguido perto do local onde ocorreu o segundo massacre. É lá que quem percorre o Caminho dos Santos Mártires recebe o seu Certificado do Peregrino.

O roteiro não fica completo sem uma visita a Natal, onde fica a bela e bem conservada igreja Matriz de Nossa
Senhora da Apresentação, que começou a ser construída em 1599, mesmo ano de fundação da capital do Rio Grande do Norte.

Igreja de Nossa Senhora da Apresentação

Moderna e bonita, a Catedral Metropolitana de Natal, dedicada a Nossa Senhora da Apresentação, merece ser visitada, assim como o também moderno Santuário dos Santos Mártires e o Santuário Nossa Senhora de
Fátima, onde está sendo construída uma réplica perfeita da Capelinha das Aparições existente em Portugal.

Natal tem um completo Roteiro Histórico Religioso que contempla um total de dez igrejas e oferece ainda inúmeras opções de passeios, como o belíssimo passeio de barco pelo rio Potengi no final da tarde.

Em resumo

Durante todo o trajeto do Caminho dos Santos Mártires entre Canguaretama a Natal, a presença da natureza é impactante, permitindo que se desfrute de belíssimas vistas do mar, praias, lagoas, dunas e rios.

É importante notar que a boa infraestrutura de hospedagem e alimentação disponível ao longo de cada uma das etapas, somada à grande quantidade e variedade de prestadores de serviços turísticos permite que cada um enriqueça a experiência original da maneira que preferir, o que permite que cada viagem seja única.

Em resumo, o Caminho dos Santos Mártires se diferencia das opções existentes até agora ao unir devoção, história, belas paisagens, muito contato com a natureza e a cultura local, sem esquecer as boas opções de gastronomia regional, num percurso ao alcance de todos que vale a pena percorrer.


A Viagens de Fé foi conhecer o Caminho dos Santos Mártires a convite das Prefeituras de Canguaretama, Nísia Floresta e São Gonçalo do Amarante, com o apoio do hotel Praia Bonita, da Foco Turismo Operadora e da WHel Tour Receptivo, além de diversos restaurantes e prestadores de serviços turísticos das cidades do roteiro.

 

Compartilhe

Notícias recentes

Congresso Internacional de Turismo Religioso começa hoje no Uruguai

Começa hoje a 17ª edição do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável, que continua… Continue lendo

JMJ Lisboa 2023 volta a ser destaque nos Workshops de Turismo Religioso de Fátima

De longe o mais significativo evento católico, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023… Continue lendo

Congresso Internacional de Turismo Religioso tem inscrições gratuitas até 19/5

O Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável, que acontece de 9 a 11 de… Continue lendo

Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável chega ao Uruguai

A  cidade de Paysandú, no Uruguai, será a sede da 17ª edição do consagrado Congresso… Continue lendo

Rota das Catedrais mostra que turismo religioso pode ser feito de bicicleta

Dá pra se fazer turismo religioso de bicicleta? Há vários exemplos que mostram que sim,… Continue lendo

Jordânia é o Destino Convidado dos Workshops Internacionais de Turismo Religioso

A Jordânia, destino de turismo religioso que foi palco de muitas das passagens que constam… Continue lendo